Comunicado de imprensa

8/Jan/2013 | 2101-PT

OEKO-TEX® Critérios de Inspecção 2013

Zurique (hm) Em relação à certificação de produtos segundo o OEKO-TEX® Standard 100, o Secretariado da Associação OEKO-TEX® actualizou, como habitualmente. no início do ano os critérios de inspecção e valores limite válidos. Depois de um período transitório de três meses, entram no dia 1 de Abril de 2013 as novas regulamentações para todos os processos de certificação em vigor:

  • Os produtos têxteis apresentados para certificação serão futuramente analisados em relação a mais oito hidrocarbonetos aromáticos policíclicos (PAK). Na classe de produtos I, o valor limite para benzo(a)pireno é para além disso reduzido para 0,5 mg/kg e o somatório do valor limite até agora válido para todos os PAKs reduzido para 5 mg/kg.
  • Em relação à classificação, como substância particularmente inquietante (Substância SVHC) no sentido da legislação REACh, o dimetilformamida (DMF) é acrescentado à lista de solventes regulamentados. É válido um valor limite de 0,1%.
  • Para além disso, as amostras serão analisadas futuramente em relação a mais três ftalatos prejudiciais para a saúde, dado que estas são em parte tambémclassificadas como substâncias SVHC , ou seja, estão referenciados no "Registry of Intentions" da REACh. O somatório dos valores limite de 0,1% para a classe de produtos I ou classes de produtos II e IV mantém-se.
  • Devido à restrição estipulada no anexo XVII da directiva REACh, o dimetil fumarato (DMFu) será mencionado futuramente, com um valor limite de 0,1 mg/kg, como substância adicional na lista dos produtos químicos com resíduos regulamentados pela OEKO-TEX® e analisado em artigos relevantes.
  • Condicionado pela alteração da norma europeia em relação à regulamentação da perda de níquel, os valores limite para níquel extraível são adaptados em todas as quatro classes de produto OEKO-TEX®. Como novos valores limite passam a ser válidos 0,5 mg/kg para a classe de produto I e 1,0 mg/kg para as classes de produto II a IV.
  • A regulamentação introduzida já no início de 2012 para a certificação de produtos segundo o OEKO-TEX® Standard 100 de nonilfenol, octilfenol e alquilfenoletoxilatos (APEOs), é a partir de 1 de Abril de 2013 definitivamente obrigatória para todas as certificações de produto segundo o OEKO-TEX® Standard 100.

    São agora válidos os seguintes valores limite:
    - A soma de octilfenol (OP) e nonilfenol (NP) = 50 mg/kg (corresponde a 0,005 massa por massa)
    - A soma de octilfenol, nonilfenol, octilfenol-(1-2)-etoxilato e nonilfenol-(1-9)-etoxilato = 500 mg/kg (corresponde a 0,05 massa por massa)

    Com estes valores limite, a OEKO-TEX® apoia a iniciativa "Zero Discharge of Hazardous Chemicals (ZDHC)". A sensibilização das empresas envolvidas no sistema OEKO-TEX® em relação a estas substâncias problemáticas em agentes auxiliares prejudiciais ao meio ambiente é ainda mais intensificada no âmbito das auditorias aos sistemas de produção.
  • Em todos os certificados OEKO-TEX® emitidos futuramente é claramente referido, que a conformidade dos artigos com etiqueta OEKO-TEX® são verificados regularmente nas auditorias aos sistemas de produção.

Mais informações a respeito dos novos critérios de inspecção OEKO-TEX® poderão ser obtidas no instituto OEKO-TEX® responsável, bem como no secretariado da OEKO-TEX® (info@oeko-tex.com).

Ir para vista geral